A difícil decisão de cortar meus cabelos.

Oi gente linda. Tudo bem com vocês?


Qual é o momento certo de tomar uma grande decisão? E de pô-la em prática?
Não falo de uma decisão que vai mudar o país ou o mundo. Estou falando de uma grande decisão para você, para o seu mundo. Uma decisão que para outras pessoas pode parecer boba, mas que causa grande impacto pra você.
Assim foi a minha decisão de cortar, e bastante, os meus cabelos. Como sou apaixonada por cabelão, foi difícil e vinha adiando há muito tempo... Mas hoje vejo que foi a melhor decisão que já tomei nos últimos anos.


Antes e durante:

Meus cabelos são naturalmente cacheados, finos, porosos e secos. Exatamente por este motivo clareavam muito facilmente, só com excesso de sol. Depois de adulta e com o casamento diminuí muito as idas à praia e exposição ao sol, e meus cabelos só mantiveram as pontas clarinhas.
Há uns cinco anos comecei minha aventura pela tintura de cabelos, clareando cada vez mais. Os fios aguentaram no início, mas com o tempo era visível o quanto estavam sofrendo. Os danos foram piorando apesar de todo o cuidado que eu tinha, os cachos quase desapareceram. No início de 2014 cheguei ao tom mais claro, mas resolvi parar. Não dava mais.


Cabelos histórico de corte



A decisão:

Parei de pintar e também de cortar. Minha ideia era simples: deixar os cabelos crescerem o máximo para que, quando cortasse, iria praticamente toda a tintura junto da parte danificada. Enquanto isso eu tratei muito os fios, tentando reverter o que era possível da porosidade e ressecamento.
Mas demorou tanto! Cabelos danificados ficam minguados, não crescem, espigam e se quebram. Foi assim ao longo dos últimos dois anos. Em outubro eu já estava no meu limite, mas como as férias ainda estavam por vir escolhi deixar para depois, porque vento, mar e sol também danificam os cabelos.


Cabelos histórico de corte



O corte:

Enfim eu estava pronta para cortar, mas tive que esperar a lua certa - sou dessas - que é a lua crescente. Em dezembro, na confusão das festas de fim de ano, me confundi e a data passou. Então em janeiro peguei a data e passei a tesoura. Já contei que só corto meus cabelos em casa, sozinha? Pois é!
O comprimento estava no topo do bumbum (quando molhado), e cortei até o meio das costas, tirando um palmo. Usei aquele método que deixa em camadas, quando a gente prende todo os fios perto da testa e corta abaixo do queixo. Mês passado, de novo na lua crescente, cortei mais um tico porque ainda tinha muito da parte danificada nos fios de trás.


Cabelos histórico de corte



Pura felicidade:

Agora sim, estou pra lá de satisfeita e sentindo um leveza que não tem tamanho. Os creminhos conseguem agir melhor, os tratamentos conseguem atuar como se deve. Meus cabelos estão infinitamente mais macios e saudáveis, não embaraçam nem enchem de nós. Até os cachos voltaram com força total e sigo por aí balançando minhas molinhas. Sem contar que, neste verão super quente, os cabelos mais curtos são um alívio.


Minha conclusão:

1 - Meus cabelos não aguentam tintura, então serei uma velhinha de cabelos cacheados e branquinhos.
2 - Existe um nível de dano nos cabelos que só a tesoura resolve. Eu já sabia disso mas relutava em admitir.
3 - Adorei meus cabelos mais curtos. Há uns cinco anos usei assim e tinha enjoado, mas agora estou amando de novo.
4 - Decisão tomada, seja lá qual for, não se deve demorar a pôr em ação.


PS: Ainda não troquei a foto do perfil aqui no blog, vou providenciar.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu adoro quando você vem visitar o meu cantinho, e gosto mais ainda quando você deixa um comentário!
Obrigada pela visita.
Beijos!